Diego Silva

Um 7 de setembro: dois brasis

Quase duzentos anos depois dessa tal independência, o que teríamos afinal para comemorar enquanto classe trabalhadora? A falta de emprego? Ver o prato de comida vazio? Não ter um teto sobre a cabeça? A demora na vacinação? A tripla jornada de trabalho das mulheres? O genocídio da população negra e indígena? A discriminação das pessoas LGBTs?

Queremos ser maioria, mas…

Qualquer projeto político de esquerda que busque a efetividade, precisa conquistar a maioria. Porém, antes necessita refletir sobre as seguintes perguntas: quais meios nós devemos utilizar? Quais fins nós almejamos? Não estariam os meios já contidos nos fins?

Homofóbico, sim!

Uma análise cuidadosa da mensagem do político do PODEMOS nos conduz a uma reflexão mais ampla sobre como funciona estruturalmente a homofobia, que se torna cada vez mais visível (e audível) quanto mais ele tenta negá-la. Em suma, um processo de denegação, para evocar aqui o conceito incontornável de Freud.