MOB lança o projeto Digitaliza em Patos de Minas

Por Vinícius Maciel

Em 2020, estima-se que mais de cinco milhões[1] de crianças e adolescentes entre seis e dezessete anos tiveram que abandonar os estudos formais no Brasil. Tal fato se deu  em virtude da migração para o ensino a distância (EAD), uma das medidas tomadas para conter o avanço da pandemia sanitária gerada pela Covid-19. O motivo desta evasão foi, em boa parte, a falta de infraestrutura para garantir que o EAD funcionasse e assegurasse o direito de acesso à educação pública e de qualidade, particularmente para os alunos e as alunas que procediam de famílias trabalhadoras.

Diante disso, o núcleo de Patos de Minas do MOB-MG ( Movimento de Organização de Base-Minas Gerais) deu início a um interessante projeto: o Digitaliza.

Em linhas gerais, o Digitaliza almeja a busca pela igualdade social por meio da inclusão digital. Irá contar com a contribuição social e promoverá, além do acesso democrático à informação, o reuso de equipamentos funcionais por meio da restauração e readequação para a realidade da educação da cidade de Patos de Minas. Garantirá, na medida do que for possível, o reaproveitamento sustentável de tecnologias da informação por parte de discentes que estudam em escolas públicas, cursinhos populares e outras iniciativas comunitárias de educação.

Das contribuições

Espera-se das contribuições os mais diversos dispositivos eletrônicos de informática que estejam em bom estado. São eles,  tablets, smartphones, notebooks, desktop PCs,  periféricos e hardwares diversos. Interessam ao projeto aqueles equipamentos que o nosso eventual doador  não utiliza mais e que possam ainda estar no seu tempo de vida útil, para que sirva a outras pessoas.

O MOB lembra a todos que estes equipamentos serão restaurados e, por vezes, terão suas configurações alteradas para atender às demandas de nosso público alvo. As escolas, cursinhos e demais instituições contempladas terão autonomia para distribuí-los entre alunos, professores e técnicos, para que possam dar continuidade aos seus trabalhos e desfrutar da praticidade que os computadores oferecem em um momento em que a comunicação remota se faz essencial.

Das restaurações

O MOB, por meio do projeto Digitaliza, organiza os equipamentos por categorias de restauração. As categorias serão de dispositivos móveis, dispositivos de armazenamento, monitores, periféricos e hardwares. Dispositivos munidos com recursos que permitam o armazenamento de dados terão seus dados seguramente apagados antes da sua destinação. A unidade informacional será formatada para dar lugar aos softwares e conteúdos requisitados pela escola demandante.

O Digitaliza priorizará a instalação de softwares que se enquadram como livres ou que tenham código aberto, uma vez que a filosofia empregada nestes recursos simpatiza com os propósitos do projeto. Serão, por exemplo, os sistemas operacionais, pacotes de softwares de escritório, editores de arquivos de imagem, leitores de PDF e todas as soluções de software que este projeto visa futuramente criar para readequação destes dispositivos.

A restauração de computadores e periféricos irá ocorrer com o intuito de realocação de peças, quando necessário, e limpeza. A realocação de peças acontecerá ao perceber que o dispositivo integra recursos importantes, porém, como um todo, não possui estrutura para funcionar corretamente. A limpeza terá como foco, além de entregar os dispositivos higienizados para os usuários de destino, melhorar a ventilação do hardware e também garantir um prolongamento das suas vidas úteis.

Procuramos por novos/as companheiros/as

Por vezes, o trabalho de restauração pode demandar um acúmulo bem grande de atividades e o uso de ferramentas de difícil acesso, além de especialização na área de manutenção de computadores e dispositivos móveis. Portanto, o MOB chama por novos companheiros e novas companheiras  que tenham interesse em contribuir com o trabalho de base e que possam compartilhar suas experiências no projeto Digitaliza.

O Digitaliza será, também, um ambiente de aprendizado para aqueles e aquelas  que têm interesse na manutenção e restauração de computadores e, ao mesmo tempo, tem intenções de colaborar e integrar a construção das atividades do MOB.

Os/as companheiros/companheiras deverão estar cientes de que o projeto será executado mesmo após o período pandêmico, sabendo-se que a pandemia somente tornou a necessidade de contribuição mais urgente. Computadores, de quaisquer naturezas,  devem fazer parte do cotidiano de todas as pessoas oriundas da classe trabalhadora. Hoje, a informação – e o conhecimento que se pode construir a partir dela – é essencialmente trafegada sob os domínios das redes computacionais, o que justifica a urgência da inclusão digital da classe trabalhadora como um passo importante na luta pelo seu processo emancipatório.


[1] FORSTER, P. Pandemia aumenta evasão escolar, diz relatório do Unicef. 28 jan. 2021. Disponível em <https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/2021/01/28/pandemia-aumenta-evasao-escolar-diz-relatorio-do-unicef>. Acesso em: 17/05/2021.

Deixar uma resposta